Desacelere

Olá!

Meu nome é Eliane e desde criança sempre fui considerada uma pessoa calma, tranquila e paciente. Para mim e para muitas pessoas, essas características são boas, já para outras não.  Pessoas calmas e tranquilas são vistas como “lerdas” e fracas, o que faz com que achem que podem passá-las para trás, quando na realidade não é bem assim.

Todos nós temos nossas características pessoais que fazem parte da nossa natureza. De fato, algumas são boas e outras nem tanto, mas o que é ruim para uns, pode não ser para outros e isso deve ser respeitado, desde que não prejudique nossos semelhantes.

Durante muito tempo em minha vida, eu tentei mudar e me adaptar ao “padrão” da sociedade para atender às expectativas dos outros… DOS OUTROS!!!

Padrão? Que padrão é esse? Se cada indivíduo possui características específicas e diferentes umas das outras, porque me adaptar a um padrão?

Demorei muito para entender que não existe um padrão quando se trata de comportamento humano e muito menos o jeito mais correto de ser. Cada pessoa tem uma necessidade diferente das outras… Cada indivíduo tem um modo de agir que não condiz com os demais… Cada ser humano é uma “máquina” e tem um ritmo de funcionamento completamente diferente de outros seres humanos, ou seja, de outras máquinas…

Não é a toa que nem todo alimento faz bem a todos os tipos de “máquinas humanas”! Da mesma maneira, nem tudo o que uma pessoa consegue fazer deve ser obrigatoriamente repetido pelas outras, justamente porque envolve habilidades, vontades e ritmos diferenciados… Ou seja, características variam geneticamente conforme a natureza humana e quando tentam ser mudadas, causam frustração, estresse e doenças psicossomáticas.

E onde quero chegar com toda essa “redundância”? Durante todos esses anos de “metamorfoses”, passei por muitas situações que me eram impostas:

  • Na infância e adolescência, acordava cedo aos pulos com o meu pai batendo na porta do guarda-roupa para eu não perder a hora da escola;
  • Na fase adulta, tinha que continuar pulando da cama (durante um bom tempo de madrugada), para não perder o ônibus para o trabalho;
  • Tive que continuar estudando para acompanhar o ritmo imposto pela sociedade e por isso passei por três faculdades até completar a última (Administração de Empresas).

Tinha que estudar-trabalhar, estudar-trabalhar, estudar-trabalhar… Acorda cedo, pega ônibus, metrô, trabalha, acelera, estuda, vai, vai… VAAAAAIIIIIIII!!!

Vai aonde? Pra que correr tanto???

Depois de muitos anos nessa correria da vida urbana, os problemas de saúde começaram a aparecer:

  • Condromalacia patelar;
  • Hipotireoidismo (Tireoidite de Hashimoto);
  • Problemas respiratórios constantes (gripes e resfriados que nunca saravam).

Nesse meio tempo, comecei a treinar na academia e a correria só aumentou ainda mais!

Tarde demais… O estrago já estava feito. Será?

Acredito que não! Acredito que nunca é tarde demais!

Nunca é tarde demais para olhar para si mesmo… Nunca é tarde demais para parar de ouvir os outros e começar a ouvir a si mesmo!

Parece papo de instrutor de Yoga ou terapeuta, mas faz todo sentido!

Escute o seu corpo… Respire… Respire bem fundo e solte… Solte tudo o que encontrar de ruim em você…

Desacelere… respeite o seu ritmo… se não conseguir sozinho, peça ajuda!

Existem tantas pessoas nesse mundo… pelo menos uma delas estará disposta a te ajudar ou tem a solução que você precisa. Nem que seja apenas para te ouvir!

Tenho feito esse processo comigo mesma há algum tempo e só venho colhendo benefícios… Até que chegou um ponto em que fui obrigada a puxar o freio-de-mão… Praticamente “dar um cavalo de pau”! (risos)

Quando parei, tudo o que estava me atrapalhando continuou no embalo e foi embora… Inclusive o desconforto causado pela sensação de ser obrigada a estar sempre correndo…

– PÁRA!!!

Eu não preciso fazer tudo correndo e depois ter que fazer tudo de novo!

Eu não preciso atropelar nada nem ninguém… muito menos a vida!

Eu não preciso fazer várias coisas ao mesmo tempo e pela metade!

Eu não preciso fazer o que eu NÃO gosto de fazer!!!

Eu sou sim uma pessoa calma, tranquila e paciente!

Eu sou sim uma pessoa detalhista, cautelosa e sensível!

Não há nada de errado nisso! Esse é o MEU ritmo… Essa é minha natureza e até onde eu sei, esse meu jeito não prejudica ninguém! Muito pelo contrário, quando sou eu mesma, apenas as pessoas com as quais eu me identifico fazem questão da minha presença e de estarem comigo… De ficarem ao meu lado, mesmo que em silêncio…

Porque SIM! EU AMO O SILÊNCIO! Amo a calmaria… amo estar em PAZ e conviver comigo mesma e com todos aqueles que, assim como eu, escolheram viver uma vida mais leve… De corpo e alma… Sem pressa… Sem correria… Sem pressão…

– Tá Eliane… E como você vai viver? Do que vai viver? Parou de trabalhar e estudar? O que vai fazer da vida???

Eu respondo: Existem várias formas de trabalho no mundo e a cada dia surgem mais. Recentemente, larguei o meu trabalho “estável” para me dedicar apenas ao que gosto de fazer. Ainda não cheguei no patamar que quero estar, mas enquanto isso  não acontece, estou me preparando, me cuidando, me escutando, me respeitando e aprendendo a respeitar os outros. Com isso, quero poder contribuir com os que se identificam comigo e, consequentemente, com a minha forma de trabalhar! De quebra, receberei somente o que é justo e necessário.

Graças a essa atitude que tive comigo mesma, enxerguei que é possível conseguir o que desejo, me comunicando de forma simples e humilde. Foi assim que consegui o meu trabalho atual como redatora freelancer no site GreenMe, onde posso contribuir diariamente com artigos relacionados a saúde, natureza e sustentabilidade, e ainda recebo por isso. Não é muito, mas é o preço que estou pagando pelo estilo de vida que escolhi levar!

Fora isso, estou terminando o curso Como ser Assistente Virtual que me possibilitou enxergar que posso trabalhar com diversas atividades que realizei durante a minha vida inteira, só que agora do jeito que sempre quis trabalhar: do conforto do meu lar ou de qualquer lugar que tenha uma estrutura para eu trabalhar!

Dentre as habilidades apresentadas no curso, as que eu já possuo e quero aperfeiçoar são:

  • Redação de textos e transcrição de vídeos;
  • Serviços administrativos e financeiros;
  • Atendimento ao cliente (pesquisa de satisfação);
  • E outras que ainda quero aprimorar como edição de imagem e vídeo.

Nesse curso, temos várias atividades para desenvolver, módulo a módulo. Uma delas é criar a própria empresa, ou seja, a minha própria identidade.

Na verdade eu já tenho a minha própria empresa (MEI), pois no meu trabalho anterior eu era Prestadora de Serviços (Analista de Atendimento) e dava suporte sobre o sistema que a empresa comercializa. Com isso eu precisava emitir notas fiscais de serviço referente aos valores que recebia mensalmente.

Atualmente, a minha empresa está com meu próprio nome, pois não havia necessidade de uma identidade específica, mas o curso sugere que definamos isso, então resolvi criar uma.

Depois de pensar muito, inclusive de tentar mesclar uma identidade que eu já tenho aqui no blog, mas que não cairia muito bem, eis que me veio um nome à cabeça… 

Numa noite, enquanto eu tentava dormir, pedia para Deus me dar Sabedoria e me conduzir segundo à Vontade Dele, suplicando para que um sinal fosse dado se esse realmente fosse o caminho… Demorei muito para conseguir pegar no sono… Fiquei virando na cama de um lado para o outro… E a cada momento, a imagem da identidade da empresa ficava cada vez mais clara na minha cabeça, bem como os sinais do porquê dessa escolha.

Enfim, acordei com tudo claro em minha mente e decidida a colocar tudo isso no papel… E eis que surgiu a…

Desacelere Assistência Virtual

Credo Eliane… Esse nome passa um ar de lentidão… Eu digo: Depende do ponto de vista! O objetivo com a minha escolha profissional é justamente atender pessoas que tem características comuns às minhas!

Não adianta eu querer atender pessoas ou empresas que visam somente o lucro e não pensam nas relações humanas em primeiro lugar. Isso iria contra os meus valores e ao estilo de vida que escolhi para mim!

Pode até ser que o nome mude, ou até mesmo que eu mantenha o meu próprio nome… Tudo é possível! Não tenho pressa para isso, pois o importante é mostrar os meus serviços para quem precisa deles!

Pretendo fazer logotipo, cartões de visita, divulgações, prospecção de clientes e afins… Mas enquanto isso tudo não acontece, o essencial agora é me relacionar com pessoas que precisam de mim.

Portanto, se você se identifica com tudo isso que falei até aqui, busca levar uma vida mais leve, está começando um negócio e precisa de ajuda, mas não quer deixar a qualidade de vida de lado, conte comigo!

Vamos aprender juntos a desenvolver trabalhos com tranquilidade, qualidade e segurança. Vamos crescer na medida e viver apenas com o necessário, de forma leve, saudável e minimalista.

Este projeto está apenas no começo, mas acredito que com muito amor e compreensão (características raras hoje em dia), conseguiremos mostrar que é possível!

O importante é agir! Um passo de cada vez… 

Gratidão!

 

Os comentários estão encerrados.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: