O que aconteceu desde que voltei do Canadá?

o-que-é-blog

Querido Blog (rsrs),

Estive sumida daqui por uns tempos, mas nunca esqueço de você! 😛

Sempre gostei de diário… Adoro escrever, mas devido aos acontecimentos após o último post, não tive mais tempo para escrever aqui, mas mesmo sem tempo, dou um jeitinho de ir registrando um pouquinho dos acontecimentos, sem publicar nada de fato. Por isso, não sei quando será publicado o que registrei abaixo. Só sei que um dia vai! 😀

Vamos lá!

Cortando o cabelo por etapas... =O
Cortando o cabelo por etapas… =O

Voltei do Canadá no dia 8 de fevereiro de 2015 e desse dia até hoje muita coisa boa aconteceu, Graças a Deus! 🙂

Logo que voltei de viagem, tratei de cuidar da minha saúde. Procurei endocrinologista, nutricionista e até psicóloga! Um verdadeiro batalhão para me ajudar a enfrentar um desconhecido que bagunçou alguns meses da minha vida. O Hipotireoidismo provocado por uma Tireoidite de Hashimoto acompanhados de 3 nódulos benignos, foi diagnosticado em Julho de 2014 (pouco antes da viagem) e só foi confirmado em Fevereiro de 2015. O endocrinologista me deu a maior bronca porque eu deveria ter começado a tomar o “santo” remédio (levotiroxina sódica) desde o dia em que fui diagnosticada. Passei 6 meses no Canadá sem saber disso e só agravando ainda mais o caso, pois me alimentei de forma inadequada para o tratamento e não pude praticar atividade física como deveria. Depois que comecei o tratamento com remédio, alimentação, atividade física, psicóloga e afins, as coisas começaram a fluir e pude ter novamente em minhas mãos as rédeas da minha vida! 😀

Aproveitei bem o período em que fiquei em casa procurando emprego. Ia à academia pela manhã (muito bom), voltava para casa e enviava currículos, atualizava as notícias e as redes sociais, tinha tempo para ficar com meus pais, rever pessoas importantes… Enfim, esse período foi muito importante para eu me recuperar, refletir muito sobre prioridades, me fortalecer e criar coragem para encarar novos desafios. 😉

E eis que o grande DESAFIO foi a oportunidade de trabalhar numa área que até gosto, mas que nunca trabalhei que é a área de Tecnologia da Informação. Meu Ensino Médio foi técnico em Processamento de Dados e foi bem produtivo, mas a tentativa da Faculdade de Ciência da Computação foi meio frustrante, então não pude me desenvolver como gostaria nessa área. Mesmo assim fui indicada por uma amiga a quem sou muito grata (Andréia Gonçalves) para a vaga de Analista de Suporte na empresa Repulo. Essa empresa é uma assessoria em informática que comercializa softwares de gestão ERP, dentre eles o Cigam que é o principal e era o que eu utilizava quando trabalhava na W. Rady.

Foto antiga no crachá novo! rsrs
Foto antiga no crachá novo! rsrs

A função de Analista de Suporte é basicamente atendimento (online ou telefônico). Já trabalhei com atendimento a pais e alunos no Colégio Marista, com clientes e funcionários na W. Rady e “costumers” na Canadian Maple Delights, porém nunca no Suporte a Clientes e isso é um desafio para quem não tem muitas habilidades em lidar com o público. Embora todos digam o contrário.

Nunca gostei de trabalhar com o público. Sempre fui muito tímida e insegura, mas na vida temos que aprender a lidar com diversas situações quando queremos alguma coisa e, como precisava do trabalho, aceitei o desafio. Tinha feito algumas entrevistas que apareceram pela Catho, mas a maioria tinha um processo seletivo muito rigoroso com diversas etapas, outras o salário era muito baixo e outras nem retornaram… Então por que não aceitar a indicação, não é mesmo?! 😉

O que mais me interessou nesse trabalho foi o fato de que eu teria a oportunidade de aprender coisas novas. Embora já conhecesse sobre o sistema, tive diversos treinamentos e tirei todas as certificações necessárias para atender os clientes e solicitar suporte para a própria Cigam que fica no Sul. Teoricamente tudo funcionou direitinho, mas na prática foi uma realidade bem diferente que é melhor não abordar aqui, pois não é o intuito deste post. 😛

Outro grande desafio deste trabalho foi abrir uma micro empresa. Sim, porque para a maioria dos profissionais dessa área, a forma de contratação é PJ (Pessoa Jurídica) e não CLT (Consolidação das Leis de Trabalho). Fiquei um pouco apreensiva com relação a isso, pois sempre trabalhei como CLT e achava que era muito difícil abrir uma empresa, mas hoje em dia, graças ao Sebrae, tudo ficou fácil. Me tornei uma MEI, tirei meu CNPJ e passei a emitir Notas Fiscais de Serviço para a empresa.

A Repullo fica em São Paulo, mais precisamente na estação Santa Cruz do metrô e essa localização fez com que eu adquirisse uma nova rotina e adaptasse meus horários na academia. No início até tentei passar em casa para comer, trocar de roupa, pegar o carro e ir treinar, mas isso é a ruína para quem quer ter disciplina com a saúde! rsrs 😀

MARMITAS!!! =P

Passei então a levar minha “pequena” mochila com tudo o que tinha direito para ir direto para a academia. No início, tentei fazer minhas refeições no shopping Tucuruvi, mas as opções além de caras, não condiziam com minha dieta. Foi então que passei a levar MARMITAS! rsrs

Pois bem, rotina ajustada, trabalho, academia, dieta, saúde… Ahhhh! Como pude me esquecer, a Paróquia Nossa Senhora de Fátima tem um papel muito importante na minha vida e mesmo antes de começar a trabalhar, já tinha voltado a frequentar, pois ela era o segundo lugar do qual eu senti falta quando estava no Canadá. O primeiro era minha casa, o segundo a Igreja e o terceiro a academia!

Então essa era minha rotina: trabalho-academia-casa de segunda a sexta e academia-casa-igreja aos finais de semana (igreja aos domingos). Eventualmente eu recebia pessoas queridas em casa ou ia até a casa delas, mas era só! Até que em um belo dia… 🙂

Voltando da academia em uma semana qualquer do mês de Setembro de 2015, eis que encontro uma pessoa muito especial dentro do 2º ônibus que peguei naquela noite…

Tinha acabado de treinar, banho tomado, mochilinha nas costas, sentadinha na parte da frente do ônibus, quando vi um rostinho conhecido pelo reflexo do vidro… Era o Bruno, meu primeiro namorado! 😀

IMG_20151010_182000538
Bruno e eu no Salão Duas Rodas 2015! 😉

Namoramos na adolescência e depois que terminamos (sem motivo) não tivemos mais contato. Cada um viveu sua vida, mas cada um na sua. Nos vimos apenas uma vez numa casa de praia no aniversário de um amigo em comum, mas nem conversamos direito. Nossas “vibes” eram bem diferentes. Depois de algum tempo até tínhamos contato no Facebook, mas nada demais. Até esse contato perdemos quando eu me desliguei temporariamente das redes sociais. 😮

Voltando ao reencontro… Quando chegou o momento de descer, passei a catraca e como ele ia descer no mesmo ponto que eu (afinal ainda somos vizinhos), era natural nos cumprimentarmos. Me aproximei, cumprimentei, perguntei como estava, vida, família, trabalho, etc e ele respondeu também perguntando o básico sobre mim e nada mais. Até então tudo normal. Descemos, cada um foi para sua casa e não nos falamos mais.

Na semana seguinte, aconteceu de novo, porém em ônibus e horário diferentes! Fiquei surpresa, pois isso nunca tinha acontecido antes sendo que tanto ele, quanto eu fazíamos esse mesmo percurso há meses, ele voltando da faculdade e eu da academia. Bom, de qualquer forma agi naturalmente, até mesmo porque não havia despertado nada de diferente até aquele dia… rsrs

Descemos juntos do ônibus e ao invés de cada um ir para sua casa, ficamos conversando no ponto de ônibus POR MAIS DE 1 HORA! Emendamos diversos assuntos, desde o meu intercâmbio, até sobre planos para a filhinha dele (sim! ele já tem uma filha linda de 9 anos!) Foi uma conversa muito divertida e agradável. Demos muitas risadas um com o outro e isso fez com que o tempo passasse tão rápido que nem percebêssemos…

Mesmo conversando por todo esse tempo, eu tinha consciência de que não passava disso e até então não senti nada de diferente. Ele pegou meu número de telefone e eu o dele, fomos para casa e nos falamos um pouco mais pelo Whatsapp antes de dormir, mas foi só porque estávamos confirmando os números salvos. rsrs

Depois desse dia (segunda-feira 21/09/15) não nos encontramos e nem nos falamos mais. Até que na quinta-feira (24/09/15) eu estava voltando do trabalho e ele me chamou no Whatsapp para conversar. Eu já estava no ônibus. Nesse dia tinha saído mais tarde porque estava me preparando para a minha primeira consultoria que seria no dia seguinte. Falamos sobre diversos assuntos, mas nada demais. No meio da conversa já rolou um “Gatinha…” que me fez ficar meio alerta, mas até então pensei que pudesse ser uma forma de tratamento comum (não só comigo… rsrs).

Nos falamos novamente na noite seguinte, após a minha primeira consultoria… Também nada demais, apenas algumas “investidas”, mas sempre com muito carinho e respeito, e isso começou a chamar minha atenção!

Aniversário do Pedro Henrique e do João Vitor São Paulo x Corinthians
Aniversário do Pedro Henrique e do João Vitor
São Paulo x Corinthians

No dia seguinte, 26/09/15 já era sábado e, enquanto eu terminava de me arrumar para o aniversário de uma tia minha e meus priminhos netinhos dela, recebi uma nova mensagem no “whats” puxando assunto acionando o “alerta” novamente! rsrs O tema do aniversário era sobre futebol e como sou São Paulina e ele também, esse assunto rendeu até o dia seguinte quando ele me chamou novamente para saber como eu estava!

Na segunda-feira 28/09/16 fui mais cara de pau… comecei a conversa com uma brincadeira inocente e terminei com outra que foi mais uma indireta, mas que funcionou! Resumindo: Depois de conversarmos o dia inteiro pelo whatsapp, a noite quando eu estava voltando da academia fui falando onde eu estava para ver se nos encontraríamos novamente, mas nesse dia ele tinha saído mais cedo e chegou em casa antes… Ahhhhhh… Lancei logo um “nem me esperou…” em tom de brincadeira!!! A minha sorte foi que ele respondeu: “Ahhhh… quero esperar você…” rsrsrs

A partir daí a conversa só evoluiu! Na verdade esse foi o “start” para todo o resto, ou melhor, para todo o começo, ou melhor ainda, para o nosso RECOMEÇO! 😀

Desse dia em diante, ele passou a descer no meio do caminho dele para me esperar quando eu fosse pegar o segundo ônibus para irmos para casa juntinhos! Isso pra mim foi muito importante, pois além de morrer de medo de sair aquele horário pra ir pra casa, pude saber cada dia mais sobre ele e um sentimento do passado que estava adormecido despertou em mim novamente!

De início achei que não fosse dar em nada, ou que era coisa da minha cabeça fantasiosa e pisciana (rsrs), mas a medida em que conversávamos, víamos que nossas metas e ideais eram muito parecidos e isso nos aproximava cada vez mais! A conversa foi ficando tão intensa que não conseguíamos mais ficar um dia sem nos ver ou pelo menos nos falar.

Batida de maracujá! Foi o que bebi no dia do "reinício"! =P
Batida de maracujá! Foi o que bebi no dia do “reinício”! =P

No dia 02/10/2015 marcamos um encontro fora do trajeto habitual Fomos ao shopping e à um barzinho, conversamos bastante, tivemos uma conversa esclarecedora sobre o nosso passado e muito franca sobre nossos objetivos. Até que nos beijamos pela primeira vez depois de quase 18 anos! Sendo assim, definimos que esta seria a nossa data oficial de “reinício”! 🙂

Deste dia em diante minha vida tomou um novo rumo e ganhou um novo sentido. Minhas experiências passadas com relacionamentos (6 anos com um, 6 anos com outro e os “intervalos”), me fizeram desacreditar no amor (exceto os 3 primeiros anos de namoro com o Bruno, pois não tivemos um motivo “concreto” para nos separarmos). 😮

Meu coração estava bloqueado, mas o deixei nas Mãos de Deus! Sempre quando alguém perguntava sobre namoro, relacionamentos e afins eu dizia que não estava preocupada com isso, que não estava procurando ninguém e que tinha deixado nas Mãos de Deus e quando ELE achasse que era hora de eu me relacionar com alguém, ELE me mostraria.

E foi exatamente isso que aconteceu. Na verdade, Deus já tinha nos reservado um ao outro há muito tempo e nos deu a primeira chance quando éramos adolescentes, mas justamente por sermos muito jovens e inexperientes, não demos muito valor. Agora, depois de tudo o que vivemos, Deus nos colocou novamente no caminho um do outro – LITERALMENTE, mas dessa vez queremos fazer “jus” à Palavra e à Vontade de Deus! 😉

Eu, Isabelli (Thuka) e meu Gatinho (Bruno) S2
Eu, Isabelli (Thuka) e meu Gatinho (Bruno) S2

É o que estamos praticando a cada dia, aprendendo um com o outro, confiando, respeitando, conversando com muita sinceridade e transparência, Graças a Deus! E como ele mesmo me disse em uma de nossas conversas: “…amor é um só e dura… Não é fácil acabar… Nem morre…”

E com essa esperança, amor e espírito renovados, encerro este post… ❤

Até o próximo post se Deus permitir! 😎

Um comentário em “O que aconteceu desde que voltei do Canadá?

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: